Sobre o autocuidado da mulher-mãe em quarentena

O mundo pediu que recolhessemos. Somos mulheres, mães, grávidas, e estamos em casa há 15 dias - que mais parecem 2 meses! 

 

Nos primeiros dias talvez tenhas feito inúmeros planos, actividades para entreter os miúdos, dedicaste-te a cozinhar refeições especiais e nutricionalmente saudáveis, e pensaste que na quarentena até conseguirias manter rotinas ou avançar com aquele projecto que estava na prateleira há tanto tempo.

 

Os dias passaram e o cansaço - sobretudo o mental e o emocional - acumulam-se. Talvez tenhas a sensação de que desde que acordas até que te deitas não fazes nada de realmente produtivo. Cozinhas (agora ainda mais do que dantes), tratas da casa, da roupa, em tarefas que parecem não ter fim. Brincas com as crianças e tentas mantê-las ocupadas e entretidas, mas elas exigem a tua permanente atenção. Talvez o teu companheiro esteja ainda a trabalhar fora de casa, ou está em teletrabalho em casa e dás o teu melhor para que ele tenha o seu tempo e o seu espaço – porque, afinal, o dinheiro tem que continuar a vir de algum lado. Talvez tenhas suspendido o teu trabalho, ou talvez estejas também tu a trabalhar a partir de casa, nem sabes como… Quando vais à casa-de-banho possivelmente demoras mais um pouco, na esperança de ganhares 5 minutos para ti, mas és interrompida ao fim de 2 minutos.

 

Entre cuidares dos outros, da casa, e ao tentares manter a sanidade mental de todos, os dias vão passando e vai surgindo dentro de ti a frustração, a desmotivação, a falta de paciência e a culpa. Por não conseguires fazer melhor.

 

 

A pandemia que estamos a atravessar e o contexto das nossas vidas actualmente, estão a levar a que muitas mulheres, grávidas, e mães estejam a sentir uma pressão esmagadora para darem conta simultaneamente do relacionamento, da maternidade, da casa, da vida profissional, e os recursos internos parecem estar a diminuir. Se tens assumido a responsabilidade de TE incluíres nesta equação, continua!

 

No entanto, talvez te tenhas esquecido de ti (mais uma vez). Ou talvez até reconheças as tuas necessidades mas te sintas egoísta e a culpa te invada, por quereres simplesmente uns minutos sozinha, para respirares.

 

Hoje este texto é sobre o autocuidado. E é também um lembrete para mim mesma, que tantas vezes me deixo ficar para o fim. O autocuidado é uma parte fundamental de qualquer rotina de bem-estar, e não consiste apenas no cuidado com o nosso exterior, mas sobretudo com o cuidarmos de nós de dentro para fora. E é algo que tem que ser assumido com responsabilidade e compromisso. Da mesma forma como te comprometes a cuidar dos teus filhos, a garantir que eles comem, a propocionar-lhes uma boa noite de sono, ou a trocar a roupa da cama porque esta noite fizeram xixi, é importante que cries um espaço no tempo para ti. Pode ser um tempo diário ou semanal, por 5 minutos ou por 2 horas. O importante é que o definas e o cumpras.

 

Deixo-te algumas dicas importantes:

 

  1. Escuta o teu corpo

  2. Compreende, honra e aceita os teus sentimentos

  3. Assume responsabilidade pessoal pelo teu bem-estar

  4. Define prioridades

  5. Cuidares de ti é prioritário

  6. Dá o primeiro passo

  7. Acredita que o mereces

  8. Não há razão para te sentires culpada

  9. Cuidares de ti é dares o exemplo aos teus filhos de que devemos tratar de nós mesmos, de que somos importantes

  10. Ninguém o vai fazer por ti

  11. Cuidares de ti não é egoísmo

  12. Cuidares de ti é o primeiro passo para cuidares bem dos outros

  13. Cuidares de ti é o primeiro passo para que os outros cuidem bem de ti

  14. Sê criativa

  15. Usa o tempo a teu favor

  16. Aprende a relaxar e a descansar

 

Quando falamos em autocuidado deparamo-nos com um mundo de dicas e de recomendações, que vão desde um banho relaxante e demorado, à leitura de um livro, ou a uma sessão de meditação. Se para algumas de nós pintar as unhas pode ser o ponto alto do dia, para outras um momento como esse pode não ter qualquer importância. E está tudo bem.

 

Onde eu quero chegar é ao facto, e à compreensão, de que o autocuidado é pessoal e é uma forma de auto-preservação, que difere de pessoa para pessoa, de mulher para mulher.

 

Assim, o que te proponho hoje, é que no final deste texto consigas parar, por ti, por 5 minutos. E que penses no que precisas neste momento. O que é importante para o teu bem-estar, e que podes concretizar no actual cenário de isolamento social? Sei que pode constituir um grande desafio colocares-te em primeiro lugar, mas hoje desafio-te a fazê-lo e a criares a tua própria lista de autocuidado.

 

E se a culpa te assombrar mais uma vez, lembra-te: todos, incluindo o teu companheiro e os teus filhos, vão ganhar com uma mulher e uma mãe mais saudável, relaxada e feliz. Tu vais ganhar. Tu mereces e tu és suficiente.

 

Se fizer sentido para ti, e te ajudar, clica aqui e descarrega o documento "Prometo cuidar de mim", para que o possas imprimir, preencher e colocar num lugar bem visível para que nunca mais te esqueças de ti.

 

 

Partilhar no Facebook
Please reload

Please reload

Arquivos
Siga-nos
  • White Facebook Icon

Segue-nos nas

Redes Sociais

acompanha as nossas notícias, eventos e ofertas especiais