Segue-nos nas

Redes Sociais

acompanha as nossas notícias, eventos e ofertas especiais

É bom saber #3: A primeira consulta do recém-nascido

O nascimento de uma criança é um momento de transição e de fragilidade quer para o bebé quer para a família, geralmente associado a um turbilhão de emoções marcadas pela alegria, a ansiedade, o cansaço e a incerteza. Assim, trata-se de um período vulnerável para a toda a família, em que a consulta médica se reveste de particular importância.

 

Se a gravidez foi seguida pelo seu médico de família, este é um momento muito especial também para ele, pois é o dia de conhecer o pequeno milagre que todos fizeram por crescer na barriga da mãe nas melhores condições possíveis. É o dia de felicitar os pais e de saber como correu o parto, ouvir as alegrias, esclarecer as dúvidas e discutir frustrações. No Sistema Nacional de Saúde, o seu médico e enfermeiro de família garantem a prestação de cuidados nas consultas de planeamento familiar e na vigilância da gravidez de baixo risco, estando também preparados para a vigilância da saúde do seu bebé. O médico de família realiza consultas de vigilância de saúde infantil a crianças saudáveis ou com pequenos problemas de saúde, e os cuidados de saúde secundários (serviços de pediatria) estão vocacionados para as crianças com problemas de saúde mais específicos, ou referenciadas pelo médico de família para esclarecimento de alguma dúvida. Os pais podem também optar pelo seguimento num pediatra particular. Para essa decisão é importante a existência de uma relação de confiança e empatia entre médico-pais-criança, que possibilite uma adequada vigilância da saúde.

 

A primeira consulta deve realizar-se na primeira semana de vida, e são úteis dois boletins de saúde: o Boletim de saúde da grávida e o Boletim de saúde infantil e juvenil do seu bebé. O médico e o enfermeiro vão verificar que cuidados foram prestados no local do parto, nomeadamente a vacinação realizada, bem como quais os exames de rastreio a que o bebé foi submetido (como a avaliação dos olhos, da audição, entre outros aspetos; a realização do teste do pezinho, etc). Se por algum motivo algum destes cuidados foi protelado, o médico e o enfermeiro cuidarão de garantir o seu cumprimento.

 

Apesar de os cuidados básicos do recém-nascido serem abordados antecipadamente durante as consultas de seguimento da gravidez e nas aulas de preparação para a parentalidade, é natural que surjam dúvidas após o nascimento, e os pais devem aproveitar para as colocar nesta consulta, podendo acompanhar-se de uma lista para não esquecerem algum assunto. Os pais devem estar elucidados sobre temas como os cuidados com o aleitamento materno ou leite de fórmula, a higiene (banho, cuidados com o cordão umbilical, higiene da fralda), o vestuário, o sono, ou o transporte e segurança do bebé. Na área da pediatria, alguns assuntos geram controvérsia, existindo várias opiniões. É necessário bom senso na análise de algumas informações, e os pais devem debatê-las com os profissionais de saúde que lhes prestam cuidados.

No exame físico do recém-nascido será observado o estado geral, os movimentos do bebé, os reflexos e a pele (estado de hidratação, manchas, borbulhas), sendo feito um exame da “cabeça aos pés”: cabeça, pescoço, tórax, abdómen, genitais, ancas, membros e dorso. O médico irá refletir sobre o peso, estatura e perímetro cefálico e a evolução destes parâmetros ao longo do tempo, com o auxílio das curvas de percentis (de que falámos aqui).

 

Como médicas de família, esta é uma consulta que nos traz uma particular satisfação, em que importa, além da avaliação do bebé, notar o estado emocional e físico dos pais,  a relação destes com o bebé, e zelar pelo acompanhamento adequado do crescimento e desenvolvimento de mais um membro da família.

 

 

Partilhar no Facebook
Please reload

Please reload

Arquivos
Siga-nos
  • White Facebook Icon